quarta-feira, 21 de junho de 2017

Pogrom anti-ciganismo em Atenas - Resumo 3 dias



Por 3 dias, de 10 a 12 de junho, perdurou um ataque em massa , conhecidos como pogrom, contra a comunidade cigana local num suburbio de Atenas no distrito de Menidi. Começou depois de uma morte acidental por bala perdida de uma criança de 11 anos durante as comemorações do termino do ano letivo.  Não se sabe a autoria do disparo, mas a comuniddae cigana fi imediata e automaticamente culpabilizada. Os ataques começaram por tentar expulsar a comunidade cigana da area onde residem por mais de 60 anos.

A situação actual aponta para o facto de que a sociedade está a mostrar cada vez mais a sua face fachista, mostrando claras limitações da parte dos grupos politicos e da sociedade civil que tem ignorado o aumento da ação da extrema direita, que já tem matado e atacado mais do que os chamados terroristas do DAESH.

Este episodio em Atenas não é uma excepção na Grecia nem um caso isolado na europa, por todo o continente se tem observado ataques concertados contra a populaçao cigana residente, Grecia, Republica Checa, Hungria, Bulgaria, Romenia, Italia, França e até Portugal.
Um pequeno resumo cronologico sobre os acontecimentos em Menidi

Sabado, 10 junho:
Uma demonstração racista toma lugar em menidi após o incidente que vitimizou uma criança de 11 anos, com a presença do Mayor (equivalente a presidente da camara) local. Uma multidão enraivecida de cerca de 1500 pessoas , atiram cocktails Molotov para a porta de uma residencia de uma familia cigana, onde habita um dos supostos suspeitos pelo disparo. O levantamento foi o sinal para o pogrom generalizado contra os ciganos que vivem na area.

Domingo, 11 Junho:
A policia grega anti montim intervem para conter o grupo de 'manifestantes. Durante a manifestação, um grupo de protestantes separa-se do grupo maior e lança bombas incendiárias causando danos a duas casas. A policia responde com gás lacrimogeno iniciando um confronto direto com a urbe enraivecida. De acordo com as imagens entretanto publicadas na internet foi totalmente destruida.
A multidão incendiou assim duas casas e as caixotes de lixo da rua. Inclusive há relatos de ataques com pedras contra um comboio que transportava mercadorias e que passava pelo local, a comunidade cigana separa-se do resto da localidade sendo cortada por uma linha de comboio.

video


Segunda-Feira, 12 Junho:
O protesto torna-se novamente violento durante a noite, com o grupo de protestantes racista a lançarem bombas de petroleo e pedras contra a policia anti-montim na estaçao de comboio, que respondeu com gas lacrimogeneo e granadas de luz atordoadoras. Pelas 10h30 a multidão atravessa a linha do comboio e aprochima-se da area residencial da comunidade cigana. Felizmente , não conseguiram vandalizar as casas.

Terça -Feira, 13 Junho: 
Os residentes de Manidi totalmente enraivecidos reunem em frente ao ministerio da protecçao civil durante a tarde.

Este caso lembra-nos um outro que se passou recentemente em Portugal, na aldeia de Santo Aleixo de Restauração

Texto adaptado de: